Otimismo e Depressão: Qual a relação?

Otimismo e Depressão, qual a Relação?

Otimismo: uma forma inteligente de encarar os desafios que pode ser aprendido com Coaching Empresarial!

As dificuldades enfrentadas por Lideres e suas Equipes podem ser melhor superadas quando as pessoas apresentam um perfil mais Otimista,  e isso refletirá diretamente em 3 importantes pilares: Saúde, Desempenho e Relacionamento.

Em primeiro lugar é preciso entender as principais características dos Otimistas x Pessimistas e o que os depressivos tem a ver com isso:

Otimistas – tendem a encarar os problemas como passageiros (impermanentes),  ocasionais e por isso não se julgam culpados (impessoais) e acreditam que as dificuldades são provocadas por circunstancias  desfavoráveis (específicas). Com essa forma de pensar, costumam ser Esperançosos e Persistentes diante das adversidades com ganhos expressivos para a saúde (sistema imunológico), rendimento escolar, profissional e esportivo, e demonstram ter uma vida mais prazerosa. Estudos comprovam que os otimistas, quando estão sob pressão, produzem mais e tendem a ter vida mais longa. Em resumo, Otimistas são pessoas mais Inteligentes Emocionalmente e essa particular habilidade tem impacto muito favorável no ambiente de trabalho.

Pessimistas – ao contrário, tendem a acreditar que os problemas não têm solução (permanentes), impactando negativamente em todas as suas atividades (abrangentes) e sentem-se culpados por isso (pessoais). Ao enfrentar problemas que não podem controlar transformam esses sentimentos de desamparo ou incapacidade – visão negativa das coisas e de que não adianta fazer nada, então pra que tentar – em depressão.  Portanto, a depressão se manifesta a partir de uma maneira pessimista de pensar sobre fracassos e perdas. O contrario do desamparo está o Controle Pessoal – capacidade de modificar as coisas pela ação voluntária. Nascemos com total desamparo e logo nos primeiro ano de vida, dois milagres do controle da vontade acontecem conosco: os primeiros passos e as palavras. Com o tempo vamos conseguindo diminuir o desamparo e aumentando nosso Controle Pessoal.

DEPRESSÃO ENTÃO É A EXPRESSÃO MÁXIMA DO PESSIMISMO

Existe uma forma de depressão considerada normal porque deriva da dor da perda de entes queridos, empregos, contratos, investimentos que podem ser consideradas normais e previsíveis, seguidas de tristeza e desamparo. Tanto a depressão normal quanto os distúrbios depressivos envolvem 4 tipos de mudanças negativas na: forma de pensar, disposição, comportamento e relacionamento.

 

Como anda o seu Pessimismo e o de sua Equipe?

  1. Costuma desanimar facilmente?
  2. Tem a tendência a ficar deprimido/a mais do que gostaria?
  3. Rendimento no trabalho está aquém do talento?
  4. A Saúde (sistema imunológico) está deixando a desejar?
  5. A vida não está tão prazerosa quanto deveria?

Estilo Explicativo Pessimista que é característica dos deprimidos se apresenta como uma forma negativa de pensar sobre si, os outros/mundo e futuro, que decorre do fato de interpretar as causas das eventuais adversidades como permanentes, abrangentes e pessoais e, as causas dos acontecimentos positivos de maneira oposta – impermanentes, específicos e impessoais.

VIRANDO O JOGO E A CHAVE É A ESPERANÇA x DESAMPARO

Vimos duas maneiras de encarar os desafios nos negócios e na vida, como otimistas ou pessimistas. Em que time está jogando?

A ótima notícia é que é possível aprender a ser mais otimista e agir de forma mais inteligente, com impacto direto na saúde, desempenho e relacionamento, como vimos anteriormente, que tal?

Otimismo é a Chave do Sucesso no Desempenho Organizacional:

  • Saúde – características psicológicas, especialmente o otimismo podem produzir boa saúde: 1) mantendo o sistema imunológico mais fortalecido (depressão e sofrimento diminuem temporariamente a atividade imunológica); 2) obediência a orientações de saúde; 3) apoio social.
  • Educação de Crianças – o estilo explicativo se desenvolve na infância, portanto, o papel dos pais e professores é fundamental para orientação otimista.
  • Desempenho – a teoria básica é que quando falhamos em alguma coisa, ficamos desamparados (sentimento de incompetência) e deprimidos, pelo menos momentaneamente. Os otimistas se recuperam do seu desamparo momentâneo mais rapidamente que os pessimistas porque para eles a derrota é um desafio, mero contratempo na jornada rumo a vitória. Veem a derrota como algo temporário e especifico. Portanto, otimismo e capacidade de se refazer dos contratempos constituem a chave do sucesso nos negócios e esportes, sobretudo sob pressão
  • Relacionamento em Vendas – estudos comprovam que vendedores bem sucedidos também eram mais otimistas.

A Área de RH pode mapear o Perfil Otimista através do Coaching Empresarial

Muitas coisas estão longe de nosso Controle Pessoal como as circunstancias que nos cercam mas assumir um conjunto especifico de ações como a maneira que conduzimos nossas vidas, como assumimos a parte que nos cabe de nossa saúde, lidamos com as pessoas e planejamos nossas carreiras dependem das escolhas, decisões e ações diárias. E isso fará toda a diferença!!!!

O ponto central entre Otimistas e Pessimistas se encontra na Forma de Pensar e Explicar as Causas do Exito ou FracassoComo Interpretamos as Adversidades, Insucessos, Criticas e Felicidade. Escolher nossa própria maneira de pensar pode ser considerado uma das maiores descobertas da Psicologia Cognitiva nos últimos anos, cujo fundamento principal está: “não é o que acontece que define o que sentimos, como agimos e interagimos e sim, a interpretaçao que damos ao que acontece. Para compreender esse principio compartilho a linda reflexão de Kareemi quando afirma no filme: “Não importa o que fizeram comigo. Importa o que eu faço com o que fizeram comigo!”

Segundo o Psicólogo Martin Seligman em sua Teoria da Atribuição, o comportamento é influenciado não apenas pelo ambiente mas especialmente pelo Estado Mental ou Modo de Encarar a Vida, a partir das explicações que damos a nós mesmos e aos outros sobre o que acontece, que indicam o Grau de Esperança diante dos revezes e oportunidades da pessoal e organizacional.

Seligman define a interpretação que damos ao que nos acontece como Estilos de Atribuição – Razões para as dificuldades que enfrentamos: 

Temporárias/Permanentes – Refere-se ao tempo: as vezes, ultimamente ou sempre, nunca e ao controle do que fazemos, quanto tempo fica desamparado;

Abrangentes/ Específicas – Refere-se as generalizações ou especificações: só comigo/com os outros/pra sempre/passa logo, controla o que fazemos, quantas situações levam ao desamparo;

Pessoais/Impessoais – Refere-se a personalização interna/culpa = baixa autoestima e Externa/circunstancias e quando temos Controle do que sentimos = alta autoestima.

As principais técnicas que podemos utilizar para encarar as dificuldades com mais Otimismo se encontram em aprender a contestar os primeiros pensamentos que aparecem, prestando atenção ao dialogo interno que estabelecemos. Por exemplo: reconhecer que esse momento vai passar reagindo melhor as adversidades, procurando se refazer mais rapidamente, recomeçar aprendendo e dando a volta por cima e ter mais flexibilidade na forma de pensar (cognitiva).

Em resumo, Aprender a ser Otimista significa desenvolver maneiras de falar consigo mesmo (dialogo interno) quando sofrer uma derrota pessoal ou profissional. É como aprender a ver os problemas de um ponto de vista mais esperançoso. E para isso, existe uma serie de caminhos para por fim ao pessimismo que leva a depressão. Compreender a nova ciência do Controle Pessoal vai muito além do “pensamento positivo”. Aprender a mudar as coisas destrutivas que pensamos quando as dificuldades e problemas se apresentam é a principal fonte de Otimismo e o primeiro passo é aprender a desenvolver essa habilidade e o Coaching Empresarial é um forte aliado.

Quer saber mais? Veja os artigos

Autogestão: Quem Controla a sua Mente 

Lideres podem Ajudar Colaboradores com Depressão

Como Entender Problemas na Era Cognitiva

Em nossos Cursos e Reuniões de Coaching, utilizamos os melhores fundamentos e praticas como guia para as ações se tornem cada vez mais estratégica, inteligentes e coordenadas, melhorando a performance e resultados nos negócios, esportes e na vida.

Suzy Fleury – melhoria de Performance e Resultado de LÍDERES, EQUIPES e ORGANIZAÇÕES

sf@suzyfleury.com.br – +55 11 98383.1035

Referências:

Aprenda a Ser Otimista, Martin Seligman, Rio de Janeiro, Ed.Nova Era, 2005

https://istoe.com.br/188363_A+CIENCIA+DO+OTIMISMO/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *