Como Liderar no Novo Jogo de Fazer Negócios?

Estamos diante de um novo jogo de fazer negócios onde é preciso entender a “Nova Economia”, expressão criada em 1996, na revista BusinessWeek em artigo de Michael J. Mandel denominado “The Triumph of the New Economy – A powerful payoff from globalization and the Info Revolution” (O triunfo da Nova Economia – Uma poderosa recompensa da globalização e da revolução da informação). Ou seja, a Nova Economia surge da transição de uma economia baseada na indústria e varejo para a Economia sustentada no Cliente, onde avanços tecnológicos estão mudando diversos setores e determinando uma nova dinâmica global nos mercados, empresas e em especial, na forma de liderar.

#Ameaças? ou #Oportunidade? Faça a sua escolha! Quer saber mais?

Neste artigo, compartilho lições valiosas sobre a nova lógica de fazer negócios que tenho aprendido ao longo da jornada. Como dizia Michael Jordan: “Domine os fundamentos e seu desempenho será sempre constante”. Portanto, como podemos criar mecanismos que nos levem a entender e participar desse movimento de mundo tão desafiador?

Começo visitando o filme “O Homem que Mudou o Jogo!”, baseado em fatos reais que conta a história de Billy Beane gestor do time de beisebol do Oakland cujo objetivo era criar uma equipe competitiva na temporada de 2002. Apesar da situação financeira desfavorável, estabeleceu uma arriscada e sofisticada estratégia de análise estatística dos jogadores, desafiando a sabedoria convencional que dominava o mundo do beisebol na época. O que o Oakland fez e os resultados que conseguiu podem servir de fonte de inspiração para reflexões e aprendizagens sobre liderança com destaque para: “temos que pensar diferente”, “adapte-se ou morra”, “meu trabalho é formar times campeões”, “é preciso acreditar que fazemos parte de um time vencedor, então vamos jogar como vencedor”.

O que vemos na história do Oakland parte é Gestão da Inovação Digital, e que serve como metáfora para o mundo dos negócios. Encontrar uma forma nova de fazer acontecer e atingir resultados começa com a mudança de mindset/forma de pensar. É como sair da arquibancada onde se assiste passivamente as mudanças acontecerem, para entrar em campo – onde se aprende o que e como fazer para mudar o placar nos esportes, negócios e na vida.

Quatro pilares da revolução digital (Mark Weinberger)

1.      Inovação – Mude seu negócio antes que façam isso por você

2.      Tecnologia – Toda empresa é agora também uma empresa de tecnologia

3.      Conhecimento – Transforme dados em conhecimento

4.      Parcerias – Faça parcerias para somar forças

Weinberger conclui: “Juntos, esses quatro princípios enfatizam uma realidade essencial para as empresas hoje em dia. As estratégias que funcionavam há 30 anos – as mesmas que levaram muitas empresas ao topo – são as que impedem de avançar para o futuro. Felizmente, muitas ferramentas que desencadearam a ameaça de desaparecer também podem fazer isso possível para que as empresas se adaptem e evoluam mais rápido do que nunca. A tecnologia pode ser a causa de muitos desafios atuais, mas se nós lidarmos com a questão da forma correta, também é a solução.”

A História Vencedora da Netshoes que chegou a Bolsa de NY

Uma das melhores aprendizagens que tive esses últimos meses aconteceu quando decidi ir ao megaevento “RD Summit 2017”, onde 7.000 participantes se reuniram na cidade de Florianópolis/SC e Roni Cunha Bueno fez a palestra “Do fundo do estacionamento para a Bolsa de NY”. Durante quase uma hora de apresentação, entendi de uma vez por todas, os mecanismos utilizados por organizações exponenciais (aquelas que desenvolvem soluções melhores, mais rápidas e de menor custo que empresas no mercado). Essas organizações exponenciais estão “pivotando” (expressão usada quando o atleta de basquete gira em uma nova direção) e promovendo mudanças radicais no rumo dos negócios.

Qual o Resultado do Crescimento Exponencial da Netshoes?

Em uma década, a empresa se tornou uma das maiores organizações de e-commerce do mundo, referência no mercado esportivo, capaz de vender 30 mil pares de tênis/dia com R$ 2 bilhões em vendas. Esse é um dos melhores cases que vou resumir.

O que Roni aprendeu e compartilhou sobre crescimento exponencial começa com foco nos Consumidores da Nova Economia: motivados pelo “Prazer” ou “Dor” e, a Netshoes aproveitou uma grande lacuna que existia no mercado de distribuição de artigos esportivos no Brasil (dor) para transformar a empresa de varejo, em serviços que entrega o que, quando e onde o Consumidor desejar. Nesse momento a Netshoes “pivotou” o negócio e desde então cresceu de forma exponencial até chegar ao IPO (Initial Public Offering ou oferta pública inicial de ações, momento em que a empresa abre seu capital e passa a ser listada na Bolsa de Valores), em 2017, apenas uma década depois de reposicionar o negócio.

Qual o Segredo do Sucesso da Netshoes?

O segredo está na INOVAÇÃO CONTÍNUA: Propósito, Cultura e Método.

1.Propósito – significa direção certa ou entregar algo de valor para o Cliente, algo que melhore a vida dele e que tire uma dor ou gere prazer. E com foco no Cliente a Netshoes criou a campanha: “Todos tem seu esporte, o meu é facilitar o seu” e se tornou referência em artigos esportivos.

Para viver o propósito é preciso se perguntar todos os dias:

– O que entrega ao final do dia?

– O que dá tesão fazer?

– O que faz muito bem e que pagariam para fazer?


2.Cultura – refere-se à execução, capacidade de fazer o propósito acontecer, a disciplina para atingir resultados. E para isso é preciso Visão e um Mindset individual vencedor que, somado, represente a cultura definida em 7 princípios:

1.Cultura do Cliente! A nova economia está batendo de frente com o antigo modelo ditado pelo império das corporações da era industrial que colocava tudo em linha e de forma padronizada. Como por exemplo, o Mc Donald´s que oferece sua linha de produtos padronizados. Ou as tv´s com suas grades horárias que perdem espaço diariamente para a Netflix. Esse modelo antigo dá lugar para oportunidades – o que se pode fazer para mudar o “status quo”? Foi o que a Netshoes fez, virou a chave de varejo para e-commerce, uma empresa de serviços focada no usuário, uma das primeiras empresas a adorar o modelo 24 por 7 (24h, 7 dias/semana).

2.Sim é possível! Parece papo de “empreendedor de palco”, mas, se a gente não acreditar, ninguém mais acredita.

3.O novo vem sempre! O dia que você achar que chegou no topo, relaxou, e vai morrer porque o mundo está mudando muito rápido. E todas as vezes que o jogo muda, abrem janelas de 3, 2 ou 1 ano de ameaças e oportunidades. Foi o que aconteceu com a Netshoes que passou de empresa desktop drive para plataforma mobile. Quando o jogo muda, nivela para todos e, é possível derrubar um gigante, como aconteceu com a Blockbuster que foi engolida pela Netflix. E se você é um gigante, seja o primeiro a derrubar e renovar o seu negócio.

4.Vamos errar! Fomos educados para não errar e as escolas tem um papel fundamental nisso. Nessa nova economia é preciso mudar o mindset para aprender a Inovar, criar novos modelos de fazer as coisas e o erro faz parte desse processo. Não significa o erro de negligencia, mas aquele de tentar o novo. Netshoes tinha um budget de 20% de Marketing dedicado a busca de novos modelos de vendas.

5.Postura de dono! As empresas da nova economia estão empoderando as pessoas para buscar o novo, com “autorização” para errar, é preciso assumir responsabilidades sobre os recursos da empresa (hora de trabalho, dinheiro da empresa) e postura de dono não significa trabalhar 16h/dia porque isso é ser workaholic.

6.Aprender a viver no desconforto! As empresas da nova economia mudam muito e, por isso, é preciso reorganizar constantemente as coisas porque a mudança deve ser constante e a sensação de segurança, então, passa a não existir mais.

7 Foco e obsessão! Quem olha de fora uma empresa crescer de forma exponencial não imagina o trabalho duro que é preciso fazer diariamente. Esse esforço e dedicação pode ser comparado a trajetória de um atleta de alta performance como a de Usain Bolt, que não é nada fácil, é muita ralação. Veja Filme

Como Medir o Potencial do seu Negócio?

O potencial do seu negócio é igual a Quantidade de pessoas que impacta, vezes a Dor/resolve ou Prazer/gera, mais a Recorrência (quantas vezes vão precisar do seu serviço). Ex. Dr. Consulta parcela 10 x R$ 9,00 (tira uma dor gigante porque oferece opção para as pessoas saírem da fila do SUS).

Como Medir o Potencial de Realização do seu Negócio?

O potencial de realização de seu negócio refere-se aos Recursos que tem (dinheiro, tempo das pessoas, qualidade técnica), menos as Interferências (crenças limitadoras que flutuam em nossas cabeças – essa é a primeira interferência capaz de minar o potencial de realização de um negócio quando achamos que não vamos conseguir, que não somos capazes).

Construir GRANDES TIMES, portanto, tem a ver com PESSOAS e AFINIDADE CULTURAL (pessoas motivadas em dar o melhor, que estão em FLOW = sentem-se desafiadas e com capacidade de encarar o desafio).

“Fazer uma pessoa aprender é fácil. Mudar uma pessoa é um inferno”R.Bueno


3.Método – pode ser considerado o terceiro pilar capaz de fazer uma empresa atingir sucesso nessa nova economia. Representa processos:

1. Líderes – são aqueles que estão à frente, com energia, paixão, liderando equipes, inconformados, tirando as pessoas da zona de conforto, capazes de tomar decisões de “risco seguro”, que tem atitude pra frente e demonstra que está no controle, sem delegar para outros o problema, a crise, etc. Lideres da nova economia desafiam sempre, sabem ler as pessoas identificando onde são boas e quais os skills que precisam melhorar. Pessoas com potencial que não são desafiadas, ficam entediadas ou frustradas. Ao contrário, quando se leva pessoas ao limite e elas não são capazes de responder, fica claro os gaps que precisam ser trabalhados como a Inteligência Emocional, por exemplo. E aí entra o feedback e treinamento. E quando o líder faz a equipe crescer, o negócio cresce.

Líderes inconformados são aqueles que acreditam que nada é impossível. Quando alguém vem e diz, não dá…. o líder rebate e afirma: “dá!… sempre é possível!”

 

Arnold Schwarzenegger revela o Segredo do Sucesso que são 2 Regras de Ouro:

1) Trabalhe para valer

2) Nunca ouça os que dizem não

Líderes inconformados são aqueles que não aceitam “não”, que desafiam equipes e faz com que todos saiam da zona de conforto porque a tendência dos seres humanos é achar um lugar quentinho e gostoso e é preciso levar o time para a “piscina gelada”.

2) Andar em Blocos – todos no mesmo sentido, juntos sem desperdícios de recursos. Lembro de uma campanha publicitária que apresentava 3 filmes que representam esse movimento de sinergia entre a liderança e o time, assista:

  

3) Zero Ego – outra coisa da velha x nova economia se refere a gestão horizontal onde as soluções podem vir de qualquer lugar. E quanto mais envolver as pessoas, melhor. Empresas fazem workshop para incentivar o consciente coletivo onde o todo é mais do que a soma de suas partes.

4) Cultura do novo – onde a nova economia é a do Consumidor, é preciso criar mecanismos de gestão para estar constantemente surpreendendo (acima da expectativa), sempre, constantemente até estar impregnado na cultura. Ex. quando a Netshoes conseguiu entregar as mercadorias no mesmo dia em São Paulo e os Consumidores comentaram nas redes com muita alegria.

Três coisas constroem Marcas:

1) A História que se conta – ex. Coca-Cola

2) A Experiência que gera – ex. WhatsApp

3) O que falam de você – ex. Juiz Sérgio Moro

É preciso saber usar os 3 para construir marca, reputação, imagem e defensores.

5) Modelo de Gestão Campeão X Desafiador – pode ser considerada a parte mais importante de todo o processo de inovação cujo conceito é: o Modelo Vigente é Campeão e tem que ter um Desafiador constantemente desafiando o Modelo Vencedor. Por exemplo, a Formula 1 está com o carro Campeão rodando enquanto o Modelo Desafiador está sendo desenvolvido. O que se pode melhorar é muito pouco mas é assim que a inovação é promovida, no ciclo da excelência (melhoria contínua, aprendizagem acumulada e mudança de comportamento).

E assim constantemente, a cada nova competição os carros estão mais seguros, rápidos, eficientes e competitivos.

O que fazer para criar um Novo Modelo Campeão?

a) Desafie tudo, tudo, tudo – pessoas, processos, modelos, sistemas e até mesmo as crenças limitadoras de que não dá. Nesse momento tudo é possível, acreditamos que temos todo o dinheiro do mundo, tudo é possível para conseguir as melhores soluções do mundo. Esse é o momento “mente aberta” para as possibilidades. Por isso é preciso:

– Listar tudo o que precisa mudar, colocar no papel (2/3/4 páginas) – pode dar angustia e ansiedade por descobrir a quantidade de coisa que precisa mudar

– Escolher 1, 2 ou no máximo 3 coisas, dependendo da quantidade de recursos que tem

– Qualificar, organizar e ranquear em planilha Excel: quanto isso é rápido, fácil, escalável e dá resultado (de 0 a 5 – do mais difícil ao mais fácil, que está na sua mão).

– Racionaliza a decisão para errar menos.

b) Testar e ajustar – é produzir um protótipo e colocar no papel, gastar o mínimo recurso possível e contar a história / ideia para umas 4 pessoas para identificar evidências de que o novo modelo poderá substituir o campeão.

c) Muda e escala o mais rápido possível esse novo modelo para que chegue ao limite novamente.

Quando olha o crescimento da Netshoes de forma exponencial não percebe esses ciclos de Modelos Campeões que estão chegando ao limite e se cria o novo. É preciso trabalhar no Modelo Desafiador para que o modelo Campeão não chegue ao limite, sempre desafiando tudo e questionando.

Características do Profissional da Nova Economia?

Líderes da nova economia lideram por propósito, com paixão e por impacto. Na era cognitiva e digital, negócio e propósito andam juntos por um mundo mais sustentável.

1.Perfil Realizador – que tem tesão

2.Aprende Rápido – porque a mudança é uma constante

3.Reconhecimento – querer fazer parte dessa história e é capaz de fazer diferente

4.Baixo valor de Segurança – não conta com garantias e consegue fazer acontecer mesmo diante das incertezas

5.Sabe controlar a Qualidade de Vida – tem muitas pessoas que se perdem nesse item com impacto direto na produtividade

E para concluir, nada melhor do que uma provocação:

Qual foi a última vez que você se questionou de verdade sobre a sua carreira, empresa, serviço ou produto que oferece ao seu Consumidor? Qual o seu propósito? Qual a última vez que se colocou na situação de desafio? O que você tem que melhorar? Como pode ser uma pessoa melhor e um profissional ainda mais competente? O que te impede?

Suzy Fleury (Psicóloga Cognitiva, Coach e Palestrante)

sf@suzyfleury.com.br – +55 11 98383.1035

Mais artigos da autora:

Autogestão: Quem Controla a sua Mente 

Como Michael Jordan praticava Autocoaching?

Em nossos Cursos e Reuniões de Coaching, utilizamos os melhores fundamentos e práticas como guia para as ações se tornem cada vez mais estratégica, inteligentes e coordenadas, melhorando a performance e resultados nos negócios, esportes e na vida.

Referências:

A Mente de Nossos Lideres

Empresas Exponenciais

Entrevista Roni Cunha Bueno: os 3 pilares da inovação contínua | Studio RD Summit

Filme “O Homem que Mudou o Jogo!”

Liderança Exponencial

Livro Mude ou Morra – Roni Cunha Bueno

Segredo do termo “Pivotar”

Organizações Exponenciais

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *